Rua Américo Brasiliense, 2171- Conjunto 603/ 604

Chácara Santo Antônio- São Paulo- SP

Tel/fax: 55 11-2769- 6013

Blog Dr. Luba

DORES CONSTANTES NO CORPO? Pode ser fibromialgia

saiba mais

Quando uma pessoa sofre dores constantes e generalizadas, entre outros sintomas associados ao cansaço, é possível tenha fibromialgia. Essa patologia caracteriza-se por dor músculo-esquelética generalizada acompanhada de fadiga, prejuízo do sono, problemas de humor e de memória. Acredita-se que esta condição amplifica as sensações dolorosas, afetando a maneira como o cérebro processa os sinais de dor. As mulheres são muito mais propensas a desenvolver o problema que os homens.

Os sintomas começam às vezes após um trauma físico, cirurgia, infecção ou estresse psicológico. Em outros casos, surgem gradualmente e se acumulam ao longo do tempo sem ter um evento desencadeante.

Embora não haja cura, uma variedade de medicamentos pode ajudar a controlar os sintomas. Exercícios físicos regulares, técnicas de relaxamento e redução do estresse também podem colaborar.

Por que as pessoas com fibromialgia sentem dor?

Existe atualmente uma teoria chamada de sensibilização central. Esta teoria afirma que pessoas com fibromialgia têm um limiar menor para dor por causa da sensibilidade aumentada no cérebro aos sinais de dor.

Os investigadores acreditam que haja um aumento anormal dos níveis de certas substâncias químicas (neurotransmissores) no cérebro responsáveis pelo sinal de dor. Além disso, os receptores cerebrais da dor parecem desenvolver uma espécie de memória e tornam-se mais sensíveis, ou seja, reagem mais aos sinais de dor.

Quais são os sintomas?

A dor é descrita como constante e parece acometer todo o corpo. Há uma dor adicional ao fazer pressão firme em áreas específicas, os chamados “pontos sensíveis” ou “pontos fibromiálgicos”. São 18 pontos simétricos.

As localizações incluem:

1.  Região suboccipital (atrás da cabeça).

2.  No músculo trapézio (em cima do ombro e nas costas).

3.  Na região supraespinhal.

4.  No pescoço.

5.  Na articulação condrocostal (onde a segunda costela se insere no osso esterno).

6.  Nos joelhos (principalmente na parte de trás dos joelhos).

7.  Na região onde o fêmur se encaixa na bacia.

8.  Na região glútea.

9.  Do lado do cotovelo.

Pessoas com fibromialgia frequentemente acordam cansadas, apesar de terem dormido por longos períodos de tempo. O sono é interrompido pela dor e muitos pacientes apresentam outros distúrbios do sono, como a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono.

Quais são as causas?

A causa ainda é desconhecida, mas provavelmente envolve uma variedade de fatores que trabalham juntos. São eles:

•   Fatores genéticos. A fibromialgia tende a estar presente em membros de uma mesma família, podendo haver certas mutações genéticas que tornam mais suscetível o desenvolvimento da doença.

•   Infecções. Algumas doenças parecem desencadear ou agravar o quadro.

•   Traumas físicos ou emocionais. Transtorno de estresse pós-traumático tem sido associado à fibromialgia.

Muitos pacientes que têm fibromialgia também pode ter:

•   Fadiga

•   Ansiedade

•   Depressão

•   Endometriose

•   Dores de cabeça tensionais

•   Síndrome do intestino irritável

•   Distúrbios da articulação temporomandibular (ATM)

Caso você apresente alguns desses sintomas procure um clínico geral ou um reumatologista. Eles podem ajudar a esclarecer as suas dúvidas sobre esta e outras condições de saúde.

Como é feito o diagnóstico?

Em 1990, o American College of Rheumatology (ACR) estabeleceu dois critérios para o diagnóstico da fibromialgia:

1.  Dor generalizada com duração mínima de três meses.

2.  Pelo menos 11 pontos fibromiálgicos positivos ao exame.

Não há nenhum teste de laboratório para confirmar o diagnóstico de fibromialgia, mas o médico pode precisar excluir outras condições que tenham sintomas semelhantes como doenças musculares e neurológicas. Para isso, às vezes são solicitados exames complementares como hemograma completo, velocidade de hemossedimentação (VHS), testes de função da tireoide entre outros.

Existe tratamento?

Em geral, os tratamentos para a fibromialgia incluem medicação para reduzir a dor e melhorar o sono. A ênfase está em minimizar os sintomas e melhorar a saúde geral. Consulte um médico. Só ele pode orientá-lo sobre o melhor tratamento para a sua condição.

fibromialgia

Cuidados que ajudam no tratamento da fibromialgia

Alguns cuidados são fundamentais para o tratamento da fibromialgia:

•   Reduzir o estresse.

•   Aprender a dizer não sem culpa.

•   Pessoas que param de trabalhar tendem a ficar pior que aquelas que permanecem ativas.

•   Aprender técnicas de relaxamento.

•   Fazer uma atividade física orientada por um médico. Em um primeiro momento, o exercício pode aumentar a dor. Mas fazer isso de forma gradual e regular muitas vezes diminui os sintomas. Exercícios adequados incluem caminhada, ciclismo, dança, natação e hidroginástica. Um fisioterapeuta pode ajudá-lo a desenvolver um programa de exercícios em casa. Exercícios com levantamento de pesos parecem piorar os sintomas.

•   Exercícios de alongamento, melhora da postura (yoga, RPG, Pilates) e relaxamento também ajudam bastante.

•   Manter um estilo de vida saudável: comer alimentos saudáveis, limitar a ingestão de cafeína, fazer algo que você acha agradável todos os dias.

•   Alguns estudos indicam que a acupuntura ajuda a aliviar os sintomas da fibromialgia, enquanto outros não mostram nenhum benefício desta terapia.

•   Massagem. Ela envolve o uso de diferentes técnicas de manipulação dos músculos e dos tecidos moles. A massagem pode reduzir a frequência cardíaca, relaxar os músculos, melhorar a amplitude de movimento nas articulações e aumentar a produção de analgésicos naturais no organismo. Referência: ABC.MED.BR, 2011. Fibromialgia. Você sabe o que é?

0 saúde fibromialgia dores