Rua Américo Brasiliense, 2171- Conjunto 603/ 604

Chácara Santo Antônio- São Paulo- SP

Tel/fax: 55 11-2769- 6013

Blog Dr. Luba

CUIDADOS ANTES DA GRAVIDEZ

saiba mais

Dr. Ricardo Luba continua sendo convidado para esclarecer dúvidas sobre a saúde da mulher. Hoje falamos sobre a gravidez e os cuidados antes de engravidar, mas também respondemos perguntas da audiência da TV Aparecida sobre questões relacionadas com a fertilidade e malformações no útero. Assista o vídeo e leia o resumo do que foi abordado durante a entrevista.

Antes de engravidar é importante a mulher consultar seu ginecologista para fazer uma revisão geral. Principamente é preciso:

  • Atualizar calendário de vacinação, ou seja, estar em dia com as vacinas
  • Abandonar o vício do cigarro pois os riscos são muitos: bebê abaixo do peso, asma, risco de parto prematuro.
  • Estar no peso ideal – Estar dentro do peso ideal ajudará tanto em engravidar mais rápido, quanto na saúde da mãe durante a gestação e também do bebê.
  • Estar atenta ao relógio biológico – Antes dos 30 anos é mais fácil ter filhos, inclusive até os 35 pode-se considerar que normalmente não será difícil. No entanto acima dos 35 a fertilidade diminui muito e depois dos 43 é bastante raro ter filhos sem precisar de tratamento de fertilidade.

Com o que devem preocupar-se as mulheres que pretendem engravidar a partir dos 35 anos?

Para as mulheres que querem engravidar após os 35 eu recomendo preservar a fertilidade, ou seja, congelar óvulos e dessa forma conservar a qualidade dos seus óvulos para facilitar uma gravidez futura. Para quem começa a tentar a partir dessa idade, as principais preocupações são:

  • Peso - Mulheres com sobrepeso têm riscos não apenas de hipertensão relacionada com a gestação, como também diabetes gestacional.
  • Cromossomopatia - com o avanço da idade também aumentam os riscos das alterações cromossômicas como Síndrome de Down, Síndrome de Edwards, Síndrome de Patau. Que começam a ser riscos mais significativos principalmente após os 40 anos.
  • Estresse - Acima dos 35 anos as mulheres têm maior tendência à ansiedade e estresse, algo que também pode fazer mal durante a gestação. Não se pode dizer categoricamente que o estresse afetará a gravidez, mas sabemos que nunca será benéfico.
  • Saúde bucal - Durante a gestação existem diversas alterações hormonais que vão afetar a gengiva. A gengivite, como infecção que é, pode gerar trabalho de parto prematuro.

Perguntas:

Mulheres que tomam ácido fólico durante a gravidez têm filhos mais saudáveis?

O ácido fólico, quando usado, evita que o feto tenha problemas de fechamento dos “ossos do sistema nervoso”, ou seja, do cérebro e da coluna. A recomendação é começar com ácido fólico ao menos um mês antes de engravidar, caso a paciente não tenha histórico de alterações neuronais. No caso de histórico nessa área, recomenda-se começar com o ácido fólico 3 meses antes da gravidez. Outros nutrientes como cálcio também é importante, bem como as vitaminas C e E (veja post sobre alimentação e gravidez). As vitaminas C e E ajudam a diminuir as taxas de aborto.

Mulheres que estão tentando engravidar têm mais chances se tomarem ácido fólico?

Não, o ácido fólico é importante apenas para o desenvolvimento neuronal do bebê.

Por que é importante tomar a vacina contra a rubéola?

Como dito, antes é preciso fazer um check up de todas as vacinas que podem afetar o bebê durante a gestação. A rubéola é uma delas, o citomegalovirus, a toxoplasmose, o chagas e o HTLV também. No caso da rubéola, o contágio pode causar problemas no sistema neuropsicomotor, pode principalmente provocar alterações na parte da visão e também pode provocar alterações cardíacas. Caso as vacinas estejam em dia não é preciso repetir a dose.

Quanto tempo uma pessoa com a saúde em dia e 38 anos leva para engravidar?

Até os 36 anos a mulher pode esperar um ano tentando engravidar antes de consultar um especialista em reprodução humana, mas após esta idade eu recomendo esperar apenas 6 meses. Não necessariamente significa que ela fará um tratamento complexo de reprodução humana, mas sim algum pequeno auxílio pode ser preciso, até mesmo para tirar dúvidas como calcular o período fértil dela, por exemplo. Caso seja necessário iniciar uma investigação sobre infertilidade é importante que o homem também faça os exames, porque a infertilidade é um problema do casal.

Quais são os riscos da gravidez para quem tem útero de Didelfo?

O útero didelfo é uma má formação que resulta como se a mulher tivesse duas cavidades uterinas, que é diferente do útero bicorno, que é um útero com forma pouco mais pontuda. Outra malformação é o útero septado que tem uma divisão parcial ou total. Com relação ao útero didelfo, é possível engravidar caso exista uma passagem para pelo menos uma das cavidades do canal do colo do útero para a vagina. A gravidez é possível, porém tem um maior risco de aborto, principalmente se o embrião se implanta em uma parte mais fina da parede do útero.

Quais os exames necessários antes de engravidar?

O recomendado pela Organização Mundial de Saúde são:

  • Exame de sangue para analisar se a mulher é portadora de alguma alteração como anemia e diabetes, e também DST (doenças sexualmente transmissíveis),
  • Ultrassonografia para analisar as condições do útero, se existe algo que precisa ser tratado antes da gravidez ,
  • Papa Nicolau, para não ter o risco de engravidar com um câncer no colo do útero,
  • Exames de mama, para acompanhar se há nódulos que precisam ser tratados, mesmo que não representem riscos.

Veja também:

Mitos e verdades sobre a fertilidade

0 gravidez fertilidade gravidez fertilidade antes de engravidar

ALIMENTAÇÃO DURANTE A GRAVIDEZ

saiba mais

Muito se fala à respeito das orientações dietéticas na gestação, mas é um fato que os próprios profissionais da saúde às vezes têm dificuldade em controlar o ganho de peso adequadamente na gestação. Foram publicadas algumas recomendações que compartilho com todas que queiram fazer um melhor controle da alimentação durante a gravidez. Neste post resumo a informação contida no artigo.

Fonte:March of Dimes

Dieta na gravidez: o que consumir e o que evitar

Existem muitos mitos e muitas verdades sobre alimentos que podem ser consumidos durante a gravidez. A instituição March of Dimes, baseou seus conselhos nutricionais em evidências científicas. Por isso, leia com atenção:

Ganho de peso durante a gestação

Já foi publicado um post exclusivo sobre obesidade e gravidez por aqui, caso não tenha lido, acesse o conteúdo, pois nele comentei a recondação de ganho de peso para a gestante relacionando com seu peso antes da gravidez. O ganho excessivo de peso na gravidez não só torna mais difícil perder o excedente após o nascimento, como também aumenta os riscos de desenvolver diabetes gestacional, hipertensão (o que pode levar à pré-eclampsia), infecção pós-parto e necessidade de parto cesária. Para o bebê, o excesso de ganho de peso da mãe aumenta o risco de defeitos de tubo neural, trauma ao nascimento e morte fetal, além de aumentar as chances do bebê desenvolver obesidade no futuro.

Recomendações para uma dieta saudável durante a gravidez

Dieta gravidez

A dieta saudável de uma grávida segue os mesmos princípios básicos da dieta de qualquer adulto. A grávida vai necessitar somente 300 calorias a mais por dia para nutrir adequadamente o bebê que está gestando, que deve vir de alimentos nutritivos. Um bom cardápio deve contar com:

  • Grãos integrais – arroz integral, pão integral, farinhas integrais, macarrão integral, granola ou aveia integral: 6 a 11 porções por dia.

  • Derivados do leite - leite desnatado, iogurte ou queijo: 3 a 4 porções por dia.

  • Proteínas - carne vermelha, frango, peixe, feijão, soja, nozes ou ovos: 3 porções por dia.

  • Vegetais variados de sua preferência - brócolis, cenoura, vagem, tomate, couve-flor ou beterraba: 3 a 5 porções por dia.

  • Muita fruta - laranja, banana, pêra, mamão, melão, melancia, uva, manga ou maçã: 2 a 4 porções por dia.

Quanta comida é uma porção?

O termo porção costuma gerar dúvidas. Veja exemplos do que representa uma porção:

- Uma fatia de pão,

- Meia xícara de arroz ou macarrão,

- Uma xícara de cereais,

- Uma xícara de leite ou iogurte,

- Dois cubos de 3 cm de queijo,

- 55g de carne cozida, frango ou peixe,

- Meia xícara de vegetais cozidos ou picados,

- Uma fruta (maçã, banana ou laranja) ou meia xícara de frutas picadas ou 3/4 de xícara de suco de fruta.

Alimentos que devem ser evitados durante a gravidez:

  • Por ser uma possível fonte do parasita Toxoplasma é recomendável evitar peixe cru e moluscos.

  • Recomenda-se reduzir o consumo a 200g por semana ou no máximo 400g de alimentos como atum, camarão, salmão, badejo e bagre.

  • Alimentos cru ou mal passados em geral devem ser evitados: Carne, frango e frutos do mar. Cozinhe a carne de porco e vermelha a 160 graus; bife, vitela e carneiro a 145; frango inteiro a 180 graus e peito de frango a 170 graus.

  • Leite não pasteurizado e queijos pastosos – A não ser que no rótudo do queijo indique "feito com leite pasteurizado". Os lácteos podem estar contaminados com a bactéria Listeria, que pode provocar aborto, parto prematuro, bebê natimorto ou doença fatal ao recém-nascido.

  • Salsichas e frios, a não ser que sejam cozidos antes da ingestão, também pode estar contaminados por Listeria.

  • Patês, pastinhas de carne e frutos do mar defumados (a não ser cozidos antes da ingestão). Versões enlatadas são seguras.

  • Ovos crus ou pouco cozidos e os respectivos alimentos feitos a partir de ovos crus ou pouco cozidos para evitar contaminação por Salmonella.

  • Brotos crus, inclusive alfafa, trevo, rabanete e feijão-mungo.

  • Chás de ervas e suplementos por precaução, pois sua segurança na gravidez não foi estudada.

  • O álcool pode causar dano fetal, inclusive retardo mental e comportamento anormal.

  • Reduzir o consumo de café ao máximo de 2 xícaras por dia.

Complementos de vitaminas antes e durante a gravidez

Mulheres que estão planejando engravidar e as que já estão grávidas devem fazer uso diário de polivitamínicos que contenham:

  • 400 miligramas de ácido fólico por dia. Durante a gravidez, o ácido fólico é importante para redução do risco de malformações do sistema nervoso central do feto e outros defeitos congênitos.

  • 18 a 27 miligramas de ferro para prevenir a anemia. Durante a gravidez existe uma alta necessidade de ferro, onde sua ausência está associada a nascimentos prematuros de bebês e baixo peso ao nascer.

  • 1.000 miligramas de cálcio por dia são necessários para proteger os ossos da gestante e dar ossos e dentes fortes ao bebê. O cálcio pode vir tanto de alimentos ricos em cálcio como leite, queijo e folhas verdes ou suplemento.

Água e atividades físicas durante a gravidez

Beber cerca de 2 litros por dia e exercitar-se regularmente é muito importante para uma gravidez saudável e para o bem-estar da mãe e do bebê. Mas caso a gestante não costumava praticar exercícios antes da gravidez, recomenda-se exercícios leves e não forçar o corpo além de suas capacidades.

Desde que não exista contra-indicação médica caminhar, dançar, nadar e fazer yoga ou hidroginástica são atividades ótimas durante a gravidez. Por outro lado, evite atividades de alto risco como mergulho ou esportes radicais. O ideal é sempre consultar o obstetra que acompanha a gravidez sobre as atividades que queira praticar.

0 gravidez gravidez alimentação dieta

SABE O QUE É TERATOGENICIDADE?

saiba mais

Todas as gestantes devem tomar muito cuidado antes de utilizar medicações por conta própria devido efeitos prejudiciais à saúde de seus filhos. A Teratologia é o estudo dos processos biológicos e causas do desenvolvimento anormal e defeitos de nascimento. Um teratogêno é qualquer agente - incluindo fatores ambientais - que causa um anormal desenvolvimento prenatal ( O termo, terato-, vem da palavra grega que significa monstro). Um termo mais preciso para defeitos de nascimento é "malformação congênita". Uma concepção equivocada comum sobre teratogenicidade e de que ela envolve apenas defeitos físicos. Na verdade, muitos efeitos teratogênicos são funcionais e comportamentais e não se tornam evidentes até que a criança tenha a idade no qual essas funções ou comportamentos que normalmente se desenvolvem. Um termo mais abrangente para defeitos de nascimento que leva em conta defeitos funcionais ou comportamentais é "anomalia congênita".

teratogenicidade

Por razões éticas óbvias, à mulher grávida não se pode dar certos medicamentos com o propósito de avaliar a teratogenicidade. Por causa disso outros métodos de investigação da teratogenicidade necessitam ser utilizados. Um dos mais comuns é coletar dados retrospectivamente. Um problema com a coleta de dados retrospectivos é informação incompleta ou a vezes equivocada fornecida pela paciente ou constantes de prontuários médicos.

A incidência de importantes anormalidades estruturais em fetos nos EUA é de 2-4%. Se malformações menores , tais como dedos extras forem incluídos , isto poderia aumentar até cerca de 10%. Cerca de 25% destas anormalidades são devidas provavelmente a predisposição genética, enquanto 2-3% são induzidas por medicamentos.

A exposição a fármacos na ocasião da concepção e implantação do óvulo fecundado pode matar o feto, e a paciente pode nunca saber que ficou grávida. Se a exposição ocorre nos primeiros 12-15 dias após a concepção, quando as células estão em seu potencial total (ex. se uma célula esta danificada ou morta outra pode assumir sua função), o feto pode não ser danificado. Os primeiros 3 meses são o mais críticos em termos de malformações.

Defeitos funcionais e comportamentais tem sido associados com exposição a drogas em fases posteriores da gestação.

Os medicamentos que uma mulher toma durante a gravidez pode afetar o feto de várias maneiras:

·         Por atuar diretamente no feto, causando dano, desenvolvimento anormal ou morte.

·         Por alterar a função da placenta, usualmente pela constricção dos vasos sangüíneos e consequente redução da troca de oxigênio e nutrientes entre o feto e a mãe.

·         Por causar contração intensa dos músculos uterinos, prejudicando indiretamente o feto pela redução do suprimento sangüíneo.

Se um medicamento deve ser indicado, a mais baixa dose efetiva deve ser prescrita pelo mais curto tempo de duração possível.

Teratogênos podem causar aborto espontâneo, anormalidades congênitas, retardo do crescimento intrauterino, retardo mental, carcinogenese, e mutatogenese.

Exemplo de drogas consideradas comprovadamente teratogênicas em humanos:

Inibidores da ECA (ex. Captopril); Antineoplasicos; Antitireioideanos; Barbituratos; Carbamazepina; Etanol ( em altas doses); Fenitoina; Iodetos e Iodo radioativo; Lítio; Misoprostol; Retinoides; Talidomida; Tetraciclina; Valproato de sódio; Vitamina A (>18.000 UI/dia) e Warfarina.

Medicamentos sem nenhum efeito adverso conhecido para a Gravidez (nenhuma droga é absolutamente sem risco durante a gravidez. Estas drogas parecem ter um mínimo risco quando usadas conscientemente sob supervisão médica.):

Acetaminofeno; Analgésicos narcóticos; Cefalosporinas; Corticosteroides; Eritromicina; Fenotiazinas; Hormônios tireoidianos; Penicilinas e Polivitaminicos.

Drogas durante a Amamentação

A administração de algumas drogas (ex. ergotamina) para mães em amamentação pode causar toxicidade ao bebê, enquanto administração de outras (ex. digoxina) tem pouco efeito. Algumas drogas inibem a lactação (ex. bromocriptina).

A toxicidade para o bebê pode ocorrer se a droga penetra no leite materno em quantidades farmacologicamente significantes. A concentração no leite de algumas drogas (ex. iodetos) podem exceder aquelas no plasma materno tanto que mesmo sendo uma dose terapêutica para a mãe pode causar toxicidade para o bebe. Algumas drogas inibem o reflexo de sugar do bebe (ex. fenobarbital). Drogas no leite materno podem, pelo menos teoricamente, causar reações de hipersensibilidade no bebê, ainda quando em concentrações muito baixas para ter um efeito farmacológico. Drogas que podem aumentar a produção de leite e podem provocar galactorreia incluem antipsicóticos, cimetidina, metoclopramida e metildopa.

Drogas contra-indicadas durante a amamentação inclui anfetaminas, bromocriptina, ergotamina, lítio, nicotina, várias drogas antineoplásicas e drogas de abuso.

Para informações mais detalhadas sobre o uso de drogas na gravidez e lactação os seguintes websites podem ser consultados:

http://www.perinatology.com/exposures/druglist.htm - Neste site você pode pesquisar qualquer farmáco e saber sobre seu grau de segurança na gravidez, efeito na amamentação. Este site traz também páginas sobre a exposição materna a agentes químicos, medicamentos, infecções, doenças maternas e agentes físicos.

http://www.motherisk.org é um site do Hospital for Sick Children, Toronto, Canada. Por cerca de 15 anos o programa Motherisk tem revisto dados ao redor do mundo e conduzido trabalhos controlados prospectivos para determinar os potenciais riscos de medicamentos durante a gravidez.

http://www.modimes.org/HealthLibrary2/BirthDefects/Default.htm Programa da March of Dimes Birth Defects Foundation, é uma entidade de voluntários norte-americana que trabalha há mais de 60 anos afim de evitar defeitos congênitos em crianças.

Bibliografia:

-DeSimone, E. et all -Teratogenicity and Dermatologic Agents- US Pharmacist , vol. 26n.4, 2001.

-Young, V. Teratogenicity and drugs in Breast Milk in Applied Therapeutics-The Clinical use of drugs, 7a edição , 2001 , Lippincott Willians.

-Wells, B. at all , Pregnancy and therapeutic considerations in Pharmacotherapy Handbook , 2a edição, 2001, Appleton & Lange.

Fonte: Artigo adaptado de:

http://ww2.prefeitura.sp.gov.br/arquivos/secretarias/saude/ass_farmaceutica/0004/medgrav.PDF

0 patologias gravidez teratogenicidade genética mal formação feto

VERDADES E MITOS SOBRE A GRAVIDEZ

saiba mais

Em mais uma entrevista à TV Aparecida, Dr. Ricardo Luba responde dúvidas sobre as verdades e mitos da gravidez. Confira no vídeo e veja o conteúdo a seguir.

A mulher grávida pode praticar exercícios físicos?

Verdade. Pode e deve praticar exercícios. Se já é atleta, não tem problemas exercícios que já estava acostumada, porém se é uma pessoa sedentária, é recomendável ir mais com calma no começo da gravidez. Os melhores exercícios durante a gravidez são os de aptidão cardiorespiratória como hidroginástica, yoga, pilates e alongamento.

Os exercícios diminuem dores nas costas das gestantes?

Verdade. O esforço postural que a gravidez acaba forçando uma postura diferente, que pode provocar dores nas costas, os médicos chamam de marcha ancirienal, pode fazer exercícios para dores nas costas, mas sempre com supervisão, porque alguns exercícios podem piorar.

Se a barriga é pontuda é menina e se estiver arredondada é menino.

Mito. Brincamos que a chance de acerto deste método é 50%. Para saber o sexo do bebê é preciso fazer um ultrassom, ou um exame de sexagem fetal, que permite com 5 semanas identificar o sexo do bebê.

Grávida pode praticar sexo até o fim da gravidez.

Verdade. Pode e deve, a não ser que exista uma recomendação médica para o contrário, por exemplo em casos de risco de aborto ou pacientes que precisam estar em repouso. Nesses casos recomendamos não ter relações sexuais.

Azia e enjoo é sinal que o bebê é cabeludo.

Mito. O que provoca a azia é o desvio do eixo do estômago. Alimentos ácidos, carne, feijão e leite podem dar muita azia.

Depois de um parto cesariana, os seguintes partos também devem ser cesária.

Depende. Se o parto anterior foi a menos de um ano, o seguinte deve ser cesária, no entanto se faz mais de um ano, a gestante poderá ter um parto normal, só não poderá induzir o trabalho de parto. A partir de dois partos anteriores feitos através de cesária o terceiro deverá ser cesária também.

As vontades da grávida devem ser atendidas senão o bebê nasce com sinal.

Mito. No entanto, não há nada de mal cumprir as vontades de uma grávida, já que ela debe ser paparicada.

Nas grávidas surgem vontades de comer coisas estranhas.

Verdade. Às vezes as vontades de comer algum alimento tem a ver com uma carência de vitamina que o alimento em questão pode suprir.

Enjoos vão apenas até o terceiro mês

Depende. Na maioria dos casos sim, mas existem mulheres que têm enjoos durante toda a gravidez, enquanto outras não têm em nenhum momento. Também pode acontecer enjoos relacionados com cheiros, ou que na primeira gestação a mulher não teve enjoo e na segunda sim, ou vise-versa

Grávidas sentem muito calor

Verdade. Por influência hormonal e vaso dilatação favorece o calor.

Tomar cerveja preta ajuda a ter mais leite na amamentação.

Mito. Na realidade não se recomenda nenhuma cerveja ou álcool quando se está amamentando

Se a grávida cruzar as pernas, pode mover o cordão umbilical e enforcar o bebê.

Mito. Não tem fundamento este mito. Os riscos do cordão umbilical envolver o bebê estão relacionados com a movimentação do mesmo.

Pele de grávida pode manchar.

Verdade. Pode manchar muito. Além do Sol poder manchar a pele, também existe uma relação de hereditariedade. Se suas irmãs ou mãe tiveram manchas é mais provável que você também tenha.

Durante o programa também surgiram perguntas relacionadas às tentativas de gravidez. São ellas:

Se não consigo engravidar, quem debe fazer os exames primeiro, o homem ou a mulher?

O homem. Existe 40% de possibilidades da dificultade ter um fator masculino e o exame do homem é mais simples e rápido. Ainda assim, a mulher também precisa fazer exames para avaliar o estado das trompas, se não há problema de ovários, se os hormônios estão funcionando bem.

Quando procurar um especialista se estou tentando engravidar e não consigo?

Após um ano de tentativas é caracterizada a infertilidade, que é diferente de esterilidade.

Esterilidade é aquela paciente que não pode engravidar.

Infertilidade é quando um casal está tentando engravidar a mais de um ano e ainda não obteve a gestação.

A mulher pode engravidar mais tarde?

É possível, mas é difícil e também é mais caro. A partir dos 42 anos, das mulheres que engravidam, estimo que de 80 a 90% dos casos contam com a ajuda de tratamentos de reprodução humana.

Até os 35 anos é a melhor idade para ter filhos, onde a fertilidade está em melhor estado. Se de repente a paciente quer ter filhos mais para frente, existe a alternativa de preservar a fertilidade vitrificando óvulos, ou seja, congelando óvulos, que servirá como um seguro, para que no caso de não engravidar naturalmente, suas chances serão maiores de engravidar com tratamento e também os riscos de alterações cromossômicas e genéticas do bebê serão menores.

Hipertireodismo pode estar relacionado com abortos de repetição?

Sim. Hepertireodismo é uma das causas de aborto de repetição

Veja mais informação sobre a infertilidade no post anterior verdades e mitos sobre a fertilidade

0 Sem categoria gravidez gravidez mitos gravidez verdades gravidez tentando engravidar

VERDADES E MITOS SOBRE FERTILIDADE

saiba mais

Existem muitos mitos sobre a fertilidade e gravidez. Caso você tenta engravidar há mais de um ano sem sucesso. Marque uma consulta comigo.

Engravidar é fácil

Mito: Cada ciclo menstrual pessoas jovens e férteis têm somente 25% de chances de conseguir a gravidez e quanto mais avança a idade, pior fica. Após os 40 as chances de engravidar naturalmente são menores que 10%. 

fertilidade

Existem posições sexuais que facilitam a fecundação do óvulo

Mito: Não existe uma posição em especial que favorece a gravidez.

Se sou uma pessoa saudável minha fertilidade dura mais

Mito: Pelo menos em parte, pois não é possível evitar o envelhecimento dos óvulos a no ser que os mesmos sejam congelados. Uma vida saudável evita que a infertilidade chegue antes, mas não impedirá que ao redor dos 35 anos a qualidade dos óvulos comece a diminuir com maior intensidade.

Se tenho menstruação é porque ovulo

Mito: Não necessariamente. Aproximadamente 35% das mulheres em algum momento da sua vida apresenta anovulação. Inclusive, tão pouco é real que a ovulação ocorre sempre no mesmo dia.

A obesidade dificulta a gravidez

Verdade: A obesidade pode interferir no sistema hormonal das mulheres, mas também pode ser uma dificuldade para os espermatozoides dos homens, além disso, caso obtenha a gravidez, o risco de complicações obstétricas é três vezes maior em obesas.

Quem teve filhos é fértil

Mito: Ter tido filhos prova apenas que a pessoa foi fértil em um dado momento. No entanto, problemas podem aparecer posteriormente.

A pílula ou o DIU (dispositivo intra-uterino) podem causar infertilidade

Mito: O que sim pode acontecer por conta da pílula anticoncepcional é que problemas de infertilidade existentes ou que surjam sejam encobertos pela falsa sensação de que tudo vai bem quando o ciclo está regulado. Com relação ao DIU, existe um maior risco de infertilidade somente no caso de por conta deste método a mulher desenvolver doença inflamatória pélvica, que caso persista pode provocar a obstrução das trompas.

Lubrificantes íntimos dificultam a gravidez

Verdade: Muitos lubrificantes íntimos dificultam a mobilidade dos espermatozoides.

1 gravidez fertilidade gravidez fertilidade mitos da fertilidade

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS

saiba mais

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma patologia que se manifesta em 1 de cada 15 mulheres em idade reprodutiva. Os principais sintomas desta doença são:

- Alteração menstrual

- Aumento da quantidade de hormônios masculinos gerando aumento de pelos no corpo e espinhas

- Aumento de risco de diabetes e hipertensão

- Dificuldade de conseguir a gravidez

Em entrevista, o Dr. Ricardo Luba responde questões sobre a SOP. Leia a seguir ou assista o vídeo.

É verdade que a Síndrome dos Ovários Policísticos se manifesta mais entre jovens?

Não. A SOP está presente desde a puberdade até a menopausa.

Qual é a diferença entre Ovário Policístico e Síndrome de Ovários Policístico?

Os ovários policísticos não acompanham o mesmo conjunto de sintomas. Um dos marcos para diferenciar as duas patologias é que a síndrome de ovários policísticos é um transtorno endócrino que consiste em ter pelo menos 10 cistos no ovários.

Existe relação entre a Diabetes e a SOP?

Sim, existe uma relação importante. Metade das mulheres com SOP vão desenvolver diabetes. Isso é devido que a SOP provoca uma resistência à insulina.

Por que às vezes só se conhece o diagnóstico da SOP quando há dificuldade de engravidar?

É comum que as mulheres, quando adolescentes ou jovens começam a ter ciclos menstruais irregulares, ao procurar o ginecologista recebam a indicação de tomar anticoncepcionais com o objetivo de regular os ciclos. Solucinada a irregularidade as mulheres acabam não dando maior importância ao assunto. Sem saber estas mulheres estão fazendo parte do tratamento da síndrome, mas só quando deixam de tomar o anticoncepcional para engravidar começam a enfrentar dificuldades é que procuram novamente o ginecolgista e descobrem que são portadoras da SOP.

Qual é o tratamento para a SOP?

A pílula anticoncepcional é o principal tratamento da SOP, mas também é necessário fazer um controle da glicemia. Controlar o hipoglicemia vai ajudar na SOP, em diminuir a diabetes e também no tratamento da infertilidade.

Existe relação entre câncer e SOP?

Não existe uma relação direta entre o câncer e a SOP, no entanto o excesso de uso de anticoncepcional pode ser prejudicial para as pessoas que têm mais riscos de câncer na família.

0 patologias fertilidade gravidez fertilidade infertilidade síndrome dos ovários policísticos SOP

OBESIDADE E GRAVIDEZ

saiba mais

O que é recomendado para mulheres que estão obesas ou com sobrepeso e desejam engravidar?

As mulheres com sobrepeso ou obesas, antes de tentar engravidar, devem ter acesso a métodos contraceptivos até alcançarem um peso saudável para uma gravidez de menor risco. Esta discussão nem sempre é fácil de se ter com uma pessoa que está querendo engravidar, mas muitas vezes este é o melhor momento para receber este tipo de orientação. O instinto materno ajuda a pensar em um futuro saudável, além disso, o excesso de peso e obesidade são prejudiciais para a própria fertilidade, o que pode ocasionar que com sobrepeso a mulher tenha dificuldade de engravidar.

Gravidez: novo protocolo do Institute of Medicine sobre recomendação de ganho de peso durante a gestação

O novo protocolo do Institute of Medicine (IOM) recomenda que nenhuma mulher, em qualquer situação que esteja em relação ao seu Índice de Massa Corporal (IMC) antes de engravidar, deve perder peso durante a gravidez. No entanto, todas devem pensar no assunto durante o planejamento de uma futura gravidez e não só quando já estão grávidas.  

obesdade

Quais são as principais recomendações do Institute of Medicine para o peso que deve ser adquirido durante a gravidez?

  • As recomendações do Institute of Medicine começam com um checkup que inclui a avaliação do peso e da altura antes da concepção, investigação dos hábitos alimentares e da prática de exercícios físicos antes do início da gestação. Foi incluída uma discussão sobre o uso de contraceptivos até que mulheres com sobrepeso ou obesas alcancem o peso ideal para engravidar.
  • Nenhuma mulher, em qualquer situação que esteja em relação ao seu Índice de Massa Corporal (IMC) antes de engravidar, deve perder peso durante a gravidez. No entanto, todas devem pensar no assunto durante o planejamento de uma futura gravidez e não só quando já estão grávidas.
  • É importante que as mulheres iniciem a gravidez com um peso saudável, se possível, visando à manutenção e promoção da saúde da gestante e do bebê.
  • Os médicos devem anotar o ganho de peso ao longo da gestação e informar a paciente sobre o que está acontecendo em relação ao seu peso, oferecendo orientações adequadas sobre alimentação e prática de atividades físicas.
  • Todas as mulheres devem continuar a receber acompanhamento no puerpério para ajudá-las a retornar ao peso anterior à gravidez no período de até um ano após o parto.

As grávidas de hoje diferem das grávidas do passado?

Houve uma mudança significativa na população de mulheres que querem ter filhos. Atualmente elas formam um grupo mais diverso. Geralmente engravidam em uma idade mais avançada, estão mais pesadas e ganham mais peso durante a gravidez e existe um número maior de gestações gemelares ou trigemelares. Todas essas características carregam consigo um risco maior de doenças crônicas, o que pode colocar a mãe e o bebê em risco.

Quanto de peso uma gestante de feto único deve ganhar?

Baseado no Índice de Massa Corporal (IMC), as recomendações básicas para o ganho de peso durante a gestação de feto único são:
Índice de Massa Corporal(IMC) antes da gravidez Classificação de Obesidade em relação ao IMC (OMS) (kg/m²) Ganho total de peso durante a gestação (gramas)* Taxa de ganho de peso no segundo e terceiro trimestres da gestação** (média de ganho em gramas/semana)
Abaixo do peso Abaixo de 18,5 kg/m² 12.700g – 18.143g 0.453 (0.453 – 0.589)
Peso normal 18,5 – 24,9 kg/m² 11.339g – 15.875g 0.453 (0.362 – 0.453)
Sobrepeso 25,0 – 29,9 kg/m² 6.803g – 11.339g 0,272 (0,226 – 0.317)
Obesidade (incluindo todas as classes) Acima de 30 kg/m² 4.989g – 9.071g 0.226 (0.181 – 0.272)
* Os valores em gramas são uma conversão do protocolo original cuja unidade é pounds, são valores aproximados. ** Os cálculos aceitam um ganho de peso de 0,5 a 2 quilos durante o primeiro trimestre da gravidez.

0 gravidez obesidade gravidez fertilidade